quinta-feira, 10 de março de 2011

PLANO DE AULA

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Cultura e identidade - em um contexto histórico e social.


Tema: O conceito de cultura
Público-alvo: primeiro ano do ensino médio
Interdisciplinaridade: sociologia, história, literatura e língua portuguesa

Justificativa a partir dos Parâmetros Curriculares Nacionais:
No Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio, Ciências Humanas e suas Tecnologias – Conhecimentos de Sociologia, Antropologia e Política, está dito: “De tal maneira, cabe ressaltar a escolha do arcabouço teórico de Clifford Geertz, que nos parece ser mais vigoroso para entender as questões que se colocam atualmente. Na análise da cultura em sua dimensão semiótica, 'o homem é um animal amarrado a teias de significados que ele mesmo teceu, sendo a cultura essas teias'. Seguindo esta linha de raciocínio, podemos também citar o esforço realizado por Gilberto Velho, no conjunto de sua obra, na qual a cultura aparece como 'áreas de significado aberto', ou seja, como produto das construções simbólicas de uma determinada sociedade, considerando-se, também, a ação do indivíduo, que constrói um 'projeto' em torno de motivações sociais. Essa reflexão antropológica levaria em conta as modificações no sistema social também como representações simbólicas, universo de valores que são internalizados depois de socialmente legitimados. ”

No PCN+ Ensino Médio, Ciências Humanas e suas Tecnologias, Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais está dito: “Nesse segmento, a contribuição da Antropologia é marcante, ao envolver os conceitos de cultura e de diversidade cultural. Ao lado disso, a possibilidade de ampliar a visão de mundo, desenvolver uma visão crítica da sociedade contemporânea e respeitar as diversidades culturais, sociais e pessoais vão permitir ao aluno a decodificação da complexa realidade social, levando-o a assumir atitudes mais críticas e atuantes na comunidade.
Ao professor caberia o trabalho de oferecer oportunidades para que acontecesse, na sala de aula, atividades voltadas para a investigação e a compreensão científicas do cotidiano do aluno e de sua comunidade (ou grupos de identificação). Aqui, há possibilidades muito dinâmicas e estimulantes para que a contextualização e a interdisciplinaridade se realizem. São muito grandes as chances de elaboração de trabalhos conjuntos com História, Arte, Geografia, Filosofia etc. ”

Assuntos relacionados:
  • O que é cultura?
  • Identidade cultural
  • Construções simbólicas e projeto social em um contexto históricos
  • Cultura e ideologia
  • Etnocentrismo

Aula, ou grupo de aulas 1.

Objetivos.

A proposta desse conjunto de aulas é refletir com os alunos o que significa do outro. Qual o sentido da palavra alteridade e como ela é vivida nas sociedades em contextos históricos diferentes. Apreender o significado do outro como o diferente, com visões e perspectivas diferentes permite que o aluno possa se posicionar criticamente diante da realidade.

Conteúdo.
  • Poema Perguntas de um Operário Letrado;
  • Leitura de trecho do livro Cultura, um conceito antropológico;
  • Discussão preliminar do livro O crisântemo e a espada;
  • Significação do título do livro a partir do contexto de seu conteúdo.

Atividades.
  1. Leitura do poema Perguntas de um Operário Letrado de Bertold Brecht – anexo I. A partir da leitura do poema refletir com os alunos sobre o modo como socialmente se escreve a História da humanidade. Nos registros quem são seus protagonistas e como essa história é contada.
  2. Discussão com os alunos da afirmação de Roque de Barros Laraia em Cultura, um conceito antropológico: “Ruth Benedict escreveu em seu livro O crisântemo e a espada que a cultura é como uma lente através da qual o homem vê o mundo.”. Se a cultura é uma lente através da qual o homem vê o mundo, aqueles que registram essa visão o fazem carregados do sentido e da visão de mundo em que foram formados.
  3. Nesse contexto, o livro O crisântemo e a espada registra ao mesmo tempo a visão de mundo estadunidense na 2ª Guerra Mundial; a preocupação em conhecer o inimigo que, na visão deles, seria prontamente dominado e registra um olhar sobre o outro.
  4. Por fim, tendo como bibliografia principal desse grupo de aulas o livro O crisântemo e a espada discutir com os alunos o que é crisântemo – anexo 2 – e qual o significado do título do livro colocando lado a lado a flor que simboliza o trono do rei e a espada.
  5. Pedido de leitura do Capítulos 1. Missão: Japão; e 2. Os Japoneses na Guerra do livro O crisântemo e a espada para o próximo encontro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário